Caça&pesca&natureza

Olá!
Bem-vindo ao cães-caca-pesca-natureza , Esperamos que goste do nosso fórum!
Se ainda não faz parte do fórum, clique em "Registrar-se" para conferir os mais diversos assuntos .
Atenção depois de fazer o resisto a primeira coisa a fazer é ler as nossas regras e depois logo em seguida fazer a sua apresentação e depois participar em força
Obrigado a todos são os votos do fórum Cães&Caça&pesca&natureza

Atenção os utilizadores têm 5 dias úteis para se apresentarem se não o fizerem as suas contas bom ser apagadas de imediato

Caça&pesca&natureza


 
InícioInício  PortalPortal  GaleriaGaleria  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
.Untitled-2.picnikfile_77qB1F.001.vale_do_trevo_banner.customLogo.logocmcc.CABEAL~1

Compartilhe | 
 

 PODENGO PORTUGUÊS & Perdigueiro Português

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
podengos
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 2927
Idade : 40
Localização : Viana do Castelo Gaifar Ponte de Lima
Data de inscrição : 17/02/2008

MensagemAssunto: PODENGO PORTUGUÊS & Perdigueiro Português   Sex Ago 15, 2008 3:36 pm

PODENGO PORTUGUÊS

ORIGEM: Portugal

UTILIZAÇÃO: Cão de caça, vigia e companhia.

CLASSIFICAÇÃO F.C.I.: Grupo 5, Spitz e tipo primitivo.
Secção 7 Tipo primitivo, cães de caça.
Sem prova de trabalho.

BREVE RESUMO HISTÓRICO: Cão do tipo primitivo, tem a sua origem provável nos antigos cães trazidos pelos Fenícios e Romanos para a Península Ibérica na antiguidade clássica, sofrendo posterior influência com a introdução de efectivos caninos que acompanharam os mouros nas invasões no séc.VIII. Adapta-se ao território e clima nacionais, originando o que é hoje o podengo português. Evoluiu morfologicamente ao longo dos séculos, em razão da funcionalidade, tendo sido seleccionada a variedade pequena, a partir do séc. XV, como cão rateiro nas caravelas dos descobrimentos.

ASPECTO GERAL: Cabeça piramidal quadrangular, com orelhas erectas, cauda em foice, bem proporcionado, com bom esqueleto e bem musculado; dotado de muita vivacidade e inteligência; sóbrio e rústico. Possui três tamanhos, nas variedades de pêlo Liso e Cerdoso.

PROPORÇÕES IMPORTANTES:
Podengo Grande e Médio – Cão sub-mediolíneo, quase quadrado, de média ou de grande corpulência, conforme o tamanho seja médio ou grande, com uma relação – comprimento do corpo/altura ao garrote: 11/10 e altura do peito/altura ao garrote: 1/2.
Podengo Pequeno – Cão sub-longilíneo, de pequena corpulência, com o comprimento do corpo maior que a altura, com uma relação – comprimento do corpo/altura ao garrote: 6/5 e altura do peito/altura ao garrote: 1/2.
Em todas as variedades o comprimento do chanfro é mais curto do que o comprimento do crânio.

COMPORTAMENTO / CARÁCTER:
Podengo Médio e Grande – No Médio é aproveitada a natural vocação como cão de caça ao coelho, caçando em matilha ou isoladamente, sendo, também, conhecido por coelheiro; o Grande é utilizado para a caça maior.
Podengo Pequeno – É utilizado para procurar o coelho nas covas e entre as rochas.
Em todas as variedades é também utilizado, como cão de vigia e de companhia.

CABEÇA: Seca e em forma de tronco de pirâmide quadrangular, com base larga e extremidade bastante afilada.

REGIÃO CRANIANA:
Crânio: Plano; perfil quase recto; arcadas supraciliares salientes; sulco frontal pouco pronunciado; espaço inter-auricular horizontal com protuberância occipital saliente.
Chanfradura Nasal (Stop): Pouco acentuada; os eixos longitudinais superiores crânio-faciais são divergentes.

REGIÃO FACIAL:
Trufa: Adelgaçada e truncada obliquamente, é proeminente na ponta; de cor mais carregada do que a da pelagem.
Chanfro: De forma encurvada, de perfil recto; mais curto do que o crânio; mais largo na base do que na ponta;
Lábios: Encostados, finos; firmes, rasgados a direito e bem pigmentados.
Mandíbulas/dentes: Normais em tesoura, com dentes brancos e sólidos; regular oposição das duas maxilas e dentição completa nos Grandes.
Faces: Secas e oblíquas.
Olhos: Expressão de olhar muito viva; olhos pouco salientes nas órbitas; da cor do mel à da castanha, consoante a pelagem; oblíquos e pequenos; pálpebras com pigmentação mais carregada do que a cor da pelagem.
Orelhas: Inserção oblíqua e média; direitas, com grande mobilidade; verticais ou pouco inclinadas para diante, quando atentos; pontiagudas, largas na base, de forma triangular; finas, com altura apreciável e maior do que a base.

PESCOÇO: Ligação harmoniosa com a cabeça e com o tronco; direito; comprido; proporcionado, forte e bem musculado; ausência de barbela.

TRONCO:
Linha superior: Direita, horizontal.
Garrote: Discreto em relação ao pescoço e dorso.
Dorso: Direito e comprido.
Rim: Direito; largo e musculado.
Garupa: Direita ou pouco descaída; de comprimento médio; larga e musculada.
Peito: Descido até ao codilho; de largura média; comprido, com esterno inclinado para trás e para cima; costelas pouco arqueadas e oblíquas; peitoral pouco saliente e musculado, não muito largo;
Linha inferior e ventre: Ligeiramente subida; ventre e flancos secos, ligeiramente arregaçados.

CAUDA: Inserção mais alta do que baixa; forte, grossa e pontiaguda; de comprimento médio; em repouso caindo entre as nádegas, até a altura dos curvilhões e ligeiramente arqueada, em acção, levanta-se, horizontalmente, ligeiramente arqueada, ou verticalmente, em foice, mas nunca enrolada; franjada na sua parte ventral.

MEMBROS:

MEMBROS ANTERIORES: Bem aprumados de frente e de lado; bem musculados e secos;
Espáduas: Compridas; oblíquas; fortes e bem musculadas; ângulo da espádua aberto, com aproximadamente 110º.
Codilhos: Paralelos ao plano médio do corpo.
Antebraços: Verticais; compridos e musculados.
Carpos: Secos e não salientes.
Metacarpos: Curtos; fortes; pouco oblíquos.
Mãos: Arredondadas; dedos compridos, fortes e unidos com curvatura fechada; unhas curtas e fortes, de preferência escuras, palmas resistentes e duras.

MEMBROS POSTERIORES: Bem aprumados de trás e de lado; bem musculados e secos; paralelos ao plano médio do corpo.
Coxas: Compridas; largura média; musculadas;
Joelhos: Com ângulo fémuro-tibial de aproximadamente 135º;
Pernas: Oblíquas; compridas; secas, fortes, musculadas.
Jarretes: Altura média; secos; fortes; ângulo do jarrete aberto com aproximadamente 135º;
Metatarsos: Fortes; curtos; oblíquos; Sem presunhos.
Pés: Arredondados; dedos compridos, fortes e unidos, com curvatura fechada; unhas curtas e fortes, de preferência escuras, palmas resistentes e duras.

ANDAMENTOS: Trote ligeiro, movimentos fáceis e ágeis.

PELE: Mucosas, de preferência pigmentadas de negro ou sempre de mais escuro do que a pelagem; pele fina e tensa.

MANTO:
Pêlo: De pêlo curto ou pêlo comprido; de grossura média; pêlo liso quando curto ou pêlo áspero (cerdoso) quando comprido; o pêlo curto é mais denso do que o comprido; na variedade de pêlo comprido e áspero, o pêlo no chanfro é comprido (barbaças); sem sub-pêlo.
Cores: Admitidas - amarelo, fulvo, com as variedades claro, comum e escuro; unicolores ou malhadas de branco ou branco malhadas;
São ainda admitidas no Podengo Pequeno mas não preferenciais: preto, castanho, nas suas tonalidades; unicolores ou malhadas de branco ou branco malhadas;

ALTURA E PESO:
Altura ao garrote:
De 20 a 30 cm nos Pequenos
De 40 a 55 cm, nos Médios
De 55 a 70 cm, nos Grandes

Peso:
De 4 a 6 Kg, nos Pequenos
De 16 a 20 Kg, nos Médios
De 20 a 30 Kg, nos Grandes

DEFEITOS: Qualquer desvio em relação ao estalão deve ser considerado como falta e penalizado na exacta proporção da sua gravidade e das suas consequências na saúde e bem estar do cão.

Comportamento: Sinais de timidez.
Crânio/Chanfro: Eixos longitudinais superiores crânio-faciais paralelos.
Maxilas: Má oposição ou dentes com má implantação; dentição em pinça; dentição incompleta nos Podengos Grandes;
Trufa: Despigmentação parcial.
Pescoço: Arqueado;
Tronco: Linha superior arqueada;
Garupa: Demasiadamente descaída;
Presunhos: A sua existência é depreciativa;
Pêlo: Sedoso e/ou sub-pêlo;

DEFEITOS GRAVES:
Crânio/Chanfro: Eixos longitudinais superiores crânio-faciais convergentes;
Trufa: Despigmentação total;
Orelhas: Curvas;
Ventre: Muito arregaçado;
Cauda: Enrolada.

DEFEITOS ELIMINATÓRIOS (DESQUALIFICAÇÕES):
Carácter: Agressivo ou demasiado tímido.
Aspecto Geral: Sinais de cruzamento com galgo ou perdigueiro ou qualquer outra mestiçagem;
Maxilas: Prognatismo ou endognatismo;
Olhos: De cor diferente;
Orelhas: Dobradas ou caídas;
Cores da Pelagem: Tigradas ou raiadas; preto afogueado; tricolor e branco integral;

Todo o cão que apresentar qualquer nível de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

Nota: Os machos devem sempre apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos no escroto.



Comprimentos


Última edição por podengos em Qui Fev 11, 2010 4:21 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://caes-caca-pesca-natu.forumeiro.net
podengos
Administrador
Administrador
avatar

Número de Mensagens : 2927
Idade : 40
Localização : Viana do Castelo Gaifar Ponte de Lima
Data de inscrição : 17/02/2008

MensagemAssunto: Re: PODENGO PORTUGUÊS & Perdigueiro Português   Qui Fev 11, 2010 4:19 pm

Perdigueiro Português

ESTALÃO MORFOLÓGICO DO PERDIGUEIRO PORTUGUÊS

STANDARD F.C.I. Nº: 187.

ORIGEM: Portugal.

DATA DA 1ª PUBLICAÇÃO do Estalão Morfológico Oficial: 1939.
1ª Revisão: 1962; 2ª Revisão (actual): 2004.

UTILIZAÇÃO: Cão de Caça.

CLASSIFICAÇÃO F.C.I.: 7º Grupo (Cães de Parar) com Provas de Trabalho.
Secção I - Raças Continentais.

BREVE RESUMO HISTÓRICO
O Perdigueiro Português tem origem na Península Ibérica a partir do antigo Perdigueiro Peninsular, tronco comum a outras raças de cães de parar; resulta da conjugação de um processo de adaptação ao clima, terreno e tipo de caça e de factores de selecção introduzidos pela especificidade sociocultural do povo português, que o vem criando com fins venatórios há séculos.
A sua existência está documentada em Portugal pelo menos desde o século XII. No século XIV era conhecido como "podengo de mostra" evidenciando já a possibilidade de parar perante a caça; era criado nos canis reais e da nobreza e utilizado na caça de altanaria. No século XVI, já designado como perdigueiro, era comum o seu uso pelas classes populares.
A fixação das actuais características e sua difusão por parte de um grupo de criadores e caçadores tem início no primeiro quartel do século XX.

ASPECTO GERAL
Proporções Importantes:
Cão mediomorfo, rectilíneo, tipo bracóide, robusto mas de conformação harmónica aliada a manifesta elasticidade de movimentos.

Comportamento - Carácter:
Extremamente meigo e afectivo, resistente, dotado de grande capacidade de sofrimento e entrega. Calmo e bastante sociável mas um tanto petulante para os da sua igualha. Curioso por natureza, trabalha com persistência e vivacidade. Nada egoísta, tem sempre em vista servir o caçador, com o qual mantém permanente contacto.

Cabeça:
Proporcionada de tamanho em relação ao corpo, bem conformada e harmónica nas suas dimensões, dá a impressão de maior grandeza no conjunto. Um pouco grossa, não ossuda ou empastada. Revestida de pele flácida e fina, que não deve enrugar.

Rectilínea de perfil e quadrada vista de frente, com nítida separação do chanfro e das regiões crânio-faciais. Há convergência dos eixos longitudinais superiores do crânio e chanfro.

Região craniana: Crânio quadrado, de linha superior quase plana vista de frente e ligeiramente abaulada de perfil, tem um comprimento que não deve exceder 6/10 do comprimento total da cabeça de onde um índice cefálico total de 60%.

De frente a testa é quase plana, alta, larga e simétrica, ligeiramente abaulada de perfil. Arcadas supraciliares bem desenvolvidas. Sulco frontal largo e pouco profundo. Crista occipital apenas perceptível.

Stop bem marcado (90-100º).

Região facial:

Trufa (Nariz): Em rectangularidade com o chanfro e lábio superior, de boa conformação, bem desenvolvida, narinas amplas, húmidas, de larga abertura. De cor preta.

Chanfro: Rectilíneo e horizontal, de largura igual a metade do comprimento, sendo este 4/10 do comprimento total da cabeça. Boca medianamente fendida, de mucosas irregularmente pigmentadas, deve fechar bem permitindo a normal sobreposição dos lábios superiores.

Lábios: Lábios superiores pendentes, pouco carnudos, quadrados de perfil, formando ângulo recto com a linha do chanfro, boleados na ponta em semicírculo e quando vistos de frente, formando um ângulo agudo na margem inferior; unem-se aos inferiores por comissuras flácidas e pregueadas, com cantos descaídos.

Mandíbulas/dentes: Dentição sã, correcta e completa, com articulação em tesoura.

Face: Paralelismo entre ambas. Prega retro-comissural apenas perceptível, com região parotídea cheia.

Olhos: Grandes, expressivos, com vivacidade, castanhos de tonalidade mais escura que a pelagem; ovais com tendência para arredondados, horizontais, à flor da cabeça e enchendo a órbita. Pálpebras finas e bem abertas, de pigmentação preta.

Orelhas: De inserção alta (limitada atrás pela junção cabeça - pescoço), pendentes, quase planas (um ou dois sulcos longitudinais quando atento), triangulares bastante mais largas na base que na ponta (relação 2,5 x 1) e de vértice arredondado, medianas de comprimento, pouco mais que o comprimento do crânio (15 x 11 cm). Delgadas, macias, revestidas de pêlo fino, denso e raso.

Pescoço:
Direito, ligeiramente arredondado no terço superior, de comprimento não inferior ao comprimento total da cabeça, não muito grosso e guarnecido inferiormente de curta barbela, deve ligar-se à cabeça de forma graciosa segundo uma inclinação aproximadamente de 90º e ao tórax sem apreciável transição.

Corpo (Tronco):

Linha superior: Rectilínea, subindo muito levemente da garupa ao garrote.

Garrote: Não muito alto e um pouco empastado.

Dorso: Curto, largo, rectilíneo e ligeiramente oblíquo descendente até à região lombar à qual se une sem apreciável transição. O lombo deve também ser curto, bastante largo, de forte musculatura, ligeiramente arqueado e soldar-se bem à garupa.

Garupa: Proporcional largura em relação à região lombar, conformação harmónica e um eixo de pequena obliquidade parecendo ligeiramente descaída.

Peito: Alto e largo, com boa amplitude do tórax, mais desenvolvido no sentido da altura e profundidade do que em largura, descendo ao codilho. Costelas de curvatura bem pronunciada na parte superior e de apreciável largura dando à cavidade torácica por elas circunscrita e em secção, a forma de uma ferradura unida pelas partes terminais dos ramos.

Linha inferior: Do esterno à virilha esta linha é ligeiramente oblíqua para cima e para trás proporcionando com a linha superior do tronco elegância de formas, para o que contribui um ventre de pequeno volume ligando-se à anca em arco de circunferência; a pequena distância que separa a anca da última costela, confere ao flanco um aspecto curto e cheio.

Cauda: Amputada, de modo a cobrir os genitais sem os ultrapassar, ou inteira, de tamanho médio, sem ultrapassar o curvilhão. Direita, de média inserção, grossa na base, adelgaçando gradualmente mas não muito. Bem presa, bem saída, em perfeita continuidade com a linha média da garupa. Em estação cai naturalmente, nunca entre as coxas. Em movimento, eleva-se na horizontal ou um pouco acima, mas nunca na vertical ou em foice.

Membros:

Membros anteriores: Em estação, vistos por diante, são aprumados e em perfeito paralelismo com o plano médio do corpo. De perfil, aprumos normais. Da observação em conjunto resulta uma grande estabilidade de apoio e natural facilidade de andamentos.

Espádua: Comprida, de regular inclinação, bem colocada e um pouco carnuda. Ângulo escapulo - umeral de 120º.

Braço: Junto ao tórax, o seu comprimento está em relação com a distância que separa o garrote do ombro e a obliquidade com o grau de inclinação da espádua.

Codilho: Separado do tórax pela axila, íntegro, bem descido, equidistante do plano médio do corpo, sem convergência ou divergência em relação ao peito. Ângulo úmero - radial de 150º.

Antebraço: Desligado do tronco, comprido, direito e em manifesta perpendicularidade com o chão, tanto de frente como de perfil.

Metacarpos: Em perfeita continuação com o antebraço, largos, ligeiramente oblíquos e proporcionais em comprimento.

Mãos: Proporcionais em relação ao comprimento dos membros, tendendo para o arredondado mais que para o comprido, mas sem se assemelhar ao pé de gato. Dedos bem conformados, juntos, conferindo uniformidade e solidez no apoio. Tubérculos digitais bem desenvolvidos e altos, de epiderme negra, espessa, dura e resistente. Unhas bem nascidas, duras e pretas de preferência.

Membros posteriores: Aprumados vistos por detrás; em perfeito paralelismo com o plano médio do corpo; de perfil, aprumos normais.

Coxa: Comprida, larga, musculosa. Nádega em curva mais ou menos acentuada, comprida e um pouco em relevo. Ângulo articular coxo-femural de 95º.

Joelho: Um pouco abaixo do abdómen, não muito afastado dele, babilha ligeiramente saliente e um pouco desviada para fora. Ângulo articular fémuro - tibial de 120º.

Perna: Boa direcção, de comprimento proporcional ao da coxa, a sua obliquidade deve estar relacionada com a inclinação da garupa.

Jarrete: Normalmente aberto e bem colocado, de completa integridade, largo e grosso. Ângulo articular tíbio - társico de 145º.

Metatarsos: De comprimento médio-curto, verticais, aproximadamente cilíndricos, de regular grossura e enxutos.

Pés: Idênticos às mãos mas de conformação um pouco mais alongada.

Andamentos:
Movimentos de locomoção normais, fáceis e garbosos. Polivalente na sua função e muito adaptável aos variados terrenos, climas e tipos de caça, alterna o galope de suspensão simples e o trote largo, fácil, cadenciado.

Pelagem:
O pêlo deve ser curto, forte, bem assente, pouco macio e denso, distribuído naturalmente por todo o corpo e quase por igual, excepto nas axilas, virilhas, terços e bragadas, em que se apresenta mais disperso e mais macio. Torna-se fino e raso na cabeça e principalmente nas orelhas, que dão a sensação de aveludadas.
Não tem pelugem.

Cor:
Amarela nas variedades clara, comum e escura, unicolor ou malhada de branco na cabeça, pescoço, peito e calçado.

Altura e peso:

Machos: 56cm +/- 4cm; 20-27 Kg
Fêmeas: 52cm +/- 4cm; 16-22 Kg

DEFEITOS:
Todo o afastamento em relação ao precedente deve ser considerado como defeito que será penalizado em função da gravidade.

Cabeça:
Paralelismo dos eixos crânio-faciais. Relação de crânio - chanfro diferente de 60/40%. Estreita. Crista occipital proeminente. Seios frontais muito desenvolvidos. Presença de rugas. Sulco frontal profundo.

Olhos:
Pequenos, claros, pouco expressivos; redondos.

Orelhas:
Inserção média, muito grandes ou muito pequenas, de vértice pontiagudo.

Chanfro:
Curto ou comprido.

Ventas:
De pigmentação diferente da preta.

Lábios:
Lábio superior não quadrangular. Comissura labial não perceptível. Mucosas mal pigmentadas.
Dentes em pinça.

Tronco:
Pescoço muito curto. Sem barbela ou barbela pronunciada.
Peito pouco desenvolvido.
Linha dorsal enselada ou encarpada. Garupa demasiado descaída.
Cauda inteira muito curta, de inserção muito baixa ou de porte descaracterizante (vertical ou em foice).

Membros:
Maus aprumos e maus pés e mãos.

Pelagem:
Pêlo macio.

Timidez.

DEFEITOS GRAVES

Cabeça: Stop pouco acentuado.

Olhos: Oblíquos. Estrabismo.

Orelhas: Carnudas, de inserção baixa, excessivamente dobradas ou em saca-rolhas.

Chanfro: Oblíquo.
Corpo demasiado comprido, tórax redondo.
Ventre arregaçado.

Pelagem: Malhas não estalonadas.
Gigantismo ou nanismo.

DEFEITOS ELIMINATÓRIOS

Cabeça: Fortemente atípica com chanfro convexo, demasiado longo ou curto; crânio demasiado estreito. Eixos longitudinais superiores crânio - faciais divergentes.

Olhos: Desiguais na forma e tamanho, de cor diferente. Gázeos, amaurose congénita.

Surdez congénita.

Prognatismo ou enognatismo.

Ventas almaradas.

Corpo: Altamente atípico, evidenciando sinais de cruzamento com outras raças.

Criptorquídea ou monorquídea.

Pelagem: Diferente do tipo da raça. Albinismo

Agressividade. Timidez exacerbada.

NOTA: Os machos devem sempre apresentar os dois testículos, de conformação normal, bem descidos e acomodados no escroto.

Todo o cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

MENSURAÇÕES E ÍNDICES (em centímetros)
Macho Fêmea
Cabeça:
Comprimento do crânio (da crista occipital à linha de união dos ângulos internos dos olhos) 12,5 11,5
Largura do crânio (ao nível da maior distância das arcadas orbitárias) 12,5 11
Comprimento do chanfro (da linha dos olhos à ponta do focinho) 8 7
Tronco:
Perímetro torácico (por detrás dos codilhos) 70 65
Largura do peito (por detrás do garrote) 19 17
Altura do peito (do garrote à região esternal) 28 26

Linha superior do tronco

Comprimento do tronco (do meio do garrote à base da cauda)

51 46

Largura do tronco (a meio da região lombar)

14 12

Comprimento

Do corpo (da ponta da espádua à ponta da nádega)

58 54

Da cauda (da inserção ao coto de amputação)

17 16

Altura

Do garrote (do vértice ao chão, passando por detrás do membro, verticalmente)

56

53

Do membro anterior (do codilho ao chão e por detrás)

30

28

Da garupa (do ponto mais elevado ao chão, seguindo a vertical)

54

52

Diâmetro da bacia

Bi-ilíaco (dum a outro ângulo externo da anca)
-
11,5

Bi-isquiático (de uma a outra tuberosidade isquiática)
-
5,5

Índices:
Cefálico total (relação entre a largura do crânio e o comprimento da cabeça) 60 59
Torácico (relação entre a largura do peito e a sua altura) 68 65
Corporal (relação entre o comprimento do corpo e o perímetro torácico) 82 83
Peso: (Kg) 20-27 16-22

Ângulos articulares

Escápulo-umeral

120º

Úmero-radial

150º

Coxo-femural

95º

Fémuro-tibial

120º

Tíbio-társico

145º



Comprimentos



Um peixe é demasiado valioso!!!Mas só dentro de água!!!
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Feedbacks [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://caes-caca-pesca-natu.forumeiro.net
 
PODENGO PORTUGUÊS & Perdigueiro Português
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Caça&pesca&natureza :: Os Cães :: Os Cães-
Ir para: