Caça&pesca&natureza

Olá!
Bem-vindo ao cães-caca-pesca-natureza , Esperamos que goste do nosso fórum!
Se ainda não faz parte do fórum, clique em "Registrar-se" para conferir os mais diversos assuntos .
Atenção depois de fazer o resisto a primeira coisa a fazer é ler as nossas regras e depois logo em seguida fazer a sua apresentação e depois participar em força
Obrigado a todos são os votos do fórum Cães&Caça&pesca&natureza

Atenção os utilizadores têm 5 dias úteis para se apresentarem se não o fizerem as suas contas bom ser apagadas de imediato

Caça&pesca&natureza


 
InícioInício  PortalPortal  GaleriaGaleria  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  
.Untitled-2.picnikfile_77qB1F.001.vale_do_trevo_banner.customLogo.logocmcc.CABEAL~1

Compartilhe | 
 

 Ração seca VS carne crua

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
batistuta
Caçador Veterano ;-)
Caçador Veterano ;-)


Número de Mensagens : 383
Idade : 48
Localização : coimbra
Data de inscrição : 24/06/2011

MensagemAssunto: Re: Ração seca VS carne crua   Qui Jun 14, 2012 2:57 am

Então e digam-me, o pessoal que dá carne crua aos cães, se esses cães apanharem um coelho, vêm dá-lo ao dono?

Umm, acho que não acredito, mas quem sabe...
Voltar ao Topo Ir em baixo
gangas
Caçador Aprendiz ;-)
Caçador Aprendiz ;-)


Número de Mensagens : 207
Idade : 39
Localização : santarem
Data de inscrição : 23/06/2011

MensagemAssunto: Re: Ração seca VS carne crua   Qui Jun 14, 2012 7:55 am

Tomás escreveu:
Essa não percebi amigo gangas....
A carne que eu dou aos cães é fresca, vem do talho do meu pai!!!

Exacto, o q eu quis dizer é q uma coisa é carne fresca q vamos cozinhar c o arroz e essas coisas e dar aos nossos fieis companheiros, e outra coisa é dar carne crua sem qq tipo de preparação...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Tomás
Caçador Veterano ;-)
Caçador Veterano ;-)


Número de Mensagens : 498
Idade : 25
Localização : porto salvo
Data de inscrição : 31/01/2011

MensagemAssunto: Re: Ração seca VS carne crua   Qui Jun 14, 2012 12:31 pm

Amigo batistuta os meus cães só comem carne crua e vem dar tudo a mão, os cães de parar porque foram ensinados os cães de coelhos só traz um ou dois e já vinham assim eu não ensino os cães de coelhos a trazer a mao, nao me faz diferença...

Amigo gangas carne fresca tanto serve para cozer para os caes como serve para nso comermos cozinhada, so que em vez de cozinhar para os caes comem crua!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Avx777
Caçador Veterano ;-)
Caçador Veterano ;-)


Número de Mensagens : 351
Idade : 26
Localização : Mangualde
Data de inscrição : 04/05/2011

MensagemAssunto: Re: Ração seca VS carne crua   Qui Jun 14, 2012 1:44 pm

Toda a carne trás bactérias, a carne fresca menos que a que não fôr fresca. A razão pela qual a carne é cozinhada é para matar as bactérias. Embora os cães tenham um pH menor que 1 no estômago mesmo assim há bactérias que resistem a essas condições e podem causar doenças graves.
Voltar ao Topo Ir em baixo
podengos
Administrador
Administrador


Número de Mensagens : 2927
Idade : 39
Localização : Viana do Castelo Gaifar Ponte de Lima
Data de inscrição : 17/02/2008

MensagemAssunto: Re: Ração seca VS carne crua   Qui Jun 14, 2012 3:21 pm

So vos digo uma coisa com as bactérias não se brinca e quando tiveres de perder um cão um bom cão daqueles que só se tem uma vez a conta de dar carne crua depois mudam de opinião .

Como disse ja carne crua nunca dei mas sim massa arros com carne cozida ..mas noto bem a diferença nos cães desde que dou uma boa ração nunca mais vi cães fracos no fim da época e isso para mim quer dizer tudo, os caes rendem muito mais nos dias de caça .

abraço



Um peixe é demasiado valioso!!!Mas só dentro de água!!!
[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Feedbacks [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://caes-caca-pesca-natu.forumeiro.net
jose ANTONIO
Caçador Veterano ;-)
Caçador Veterano ;-)


Número de Mensagens : 572
Idade : 31
Localização : castro daire
Data de inscrição : 03/05/2010

MensagemAssunto: Re: Ração seca VS carne crua   Sex Jun 15, 2012 2:28 pm


________________________________________________________________________________







Alimentação do cão adulto








A boa saúde do cão está
directamente relacionada com uma boa alimentação. Isto é realmente um lugar
comum, mas nem sempre este aspecto é tomado em consideração, seja por
ignorância ou por desleixo do dono.






Alimentar bem o cão é
fornecer-lhe os nutrientes necessários e de forma equilibrada, os quais se
encontram numa boa ração sem ser necessário recorrer a outras fontes ou
complementos.



No ser humano a
alimentação será tanto mais rica e completa quanto mais variada ela for. No
regime alimentar do cão a situação é completamente diferente, porque o seu
organismo não aceita facilmente essas variações.



Aliás, adoptado um tipo
de ração, esta deve manter-se sempre. Se por qualquer motivo houver
necessidade de mudar de ração, não se deve passar de uma para a outra
bruscamente, mas ir misturando gradualmente uma na outra. Com este cuidado
evita-se que o cão venha a sofrer de distúrbios digestivos.



A ração é um alimento
completo, constituindo assim a solução ideal por possuir todos os
ingredientes necessários sem ser preciso adicionar-lhe outros produtos. Só
em casos especiais, e apenas por prescrição do médico veterinário, a ração
deverá conter aditivos (cálcio, vitaminas, etc.).








Rações



Onde se encontra uma boa
ração?



Dada a enorme variedade
de marcas e de produtos dentro da mesma marca, não é fácil proceder à
escolha. De facto, se na produção de alimentos para os próprios seres
humanos se fabricam artigos de qualidade muito duvidosa, é de pôr em dúvida
o fabrico de alimentos para os animais, pois estes não têm o poder de
crítica e de escolha como por princípio têm as pessoas.






Fabricar uma ração que
seja do agrado do cão não deve ser difícil. Mais problemático será produzir
um alimento que lhe agrade e que simultâneamente possua todos os
ingredientes necessários para uma alimentação completa e ainda que não lhe
cause quaisquer distúrbios digestivos e outros. Ora isto paga-se caro.



Rações de qualidade,
normalmente, encontram-se à venda nas próprias clínicas veterinárias ou em
boas lojas especializadas (Não se entende por lojas especializadas os
sectores de venda das grandes superfícies ou mesmo algumas lojas de
animais).



Embora o veterinário seja
o representante ou vendedor de algumas marcas de ração, temos que lhe dar o
benefício da dúvida. Ele melhor do que ninguém indicará a ração adequada
para o cão.








As rações que aqui estão a
ser referidas são as secas, apresentadas sob a forma de granulado. Há rações
húmidas, enlatadas, que são mais apetitosas para o cão, mas cuja conservação
não é tão fácil.








Hábitos e vícios



Se o cão não for
habituado de pequeno à ração, logo quando deixa de alimentar-se do leito
materno e inicia a sua alimentação com produtos sólidos, dificilmente mais
tarde aceitará comer apenas ração. O cão prefere SEMPRE a nossa comida ou
outra parecida.



As vantagens da
alimentação feita exclusivamente com uma boa ração já foram atrás referidas.
Não foi salientado um aspecto que é o da comodidade. Dar apenas ração ao cão
é prático e é seguro.



Acontece, porém, que a
maioria das pessoas não consegue administrar este regime alimentar com esta
rigidez e cede facilmente aos caprichos do cão. Depois é tarde.



Assim, não vale a pena
fazer de conta que esta situação é rara ou não existe mesmo e valerá a pena
dar algumas indicações sobre tipos de alimentos que eles não devem ou podem
comer sem problemas.



Sim, de facto pode
tornar-se a alimentação deles mais agradável e apetitosa, sem contudo isso
constituir um factor importante ou necessário para a sua nutrição.










O que eles não devem
comer



Não devem comer a nossa
comida, quer sejam restos ou mesmo os alimentos cozinhados para as pessoas.
Por vários motivos:



A nossa comida
normalmente tem uma quantidade de sal excessivo que é prejudicial à saúde
das próprias pessoas e igualmente aos animais.



Os temperos usados na
culinária (especiarias) são úteis apenas para os humanos, porque tormam a
alimentação mais agradável e, usados moderadamente, estimulam o apetite e a
digestão. Mas são prejudiciais para o cão.



Dar da nossa comida ao
cão é obrigá-lo a um regime alimentar variado, que não é aconselhável como
já foi referido.







Alimentos absolutamente
contra-indicados
:
chocolate, todos os produtos que contenham açúcar (bolachas, etc.),
enchidos, salgados, conservas, batata, pão, leguminosas (feijão, grão,
ervilhas, etc.)



Também não devem comer a
ração própria para cachorros e para gatos, por possuirem doses elevadas de
proteinas e outros ingredientes desaconselhados.







Alimentos
contra-indicados mas dados muito moderadamente e apenas como guloseima
: queijo, fiambre. (Tanto um como o outro são
muito gordos e muito
salgados, principalmente o queijo).







O que eles podem comer:

carne cozida, peixe cozido, ossos cozidos, arroz, massa, cenoura, fruta. O
requeijão ou queijo fresco podem ser dados moderadamente.








Receita



Deste último grupo convém
optar apenas por um tipo de carne, por exemplo carne de bovino. Coze-se sem
sal e adiciona-se-lhe massa ou arroz com uma cenoura ralada. No recipiente
(onde o cão come) deita-se em quantidades iguais uma parte de ração e outra
de massa com carne cortada aos bocadinhos, misturando-se bem. Normalmente o
cão escolhe primeiro a massa e a carne e só depois vai à ração. Por isso a
quantidade deve ser bem calculada. Se for em demasia ele já não come a ração
e isto não deve acontecer, porque perde exactamente a parte do alimento que
é completo.



Este esquema alimentar
não é rígido e cada pessoa adoptará o que melhor se coadunar com os seus
hábitos.





Em vez da massa (ou arroz)
e carne, pode misturar-se ração húmida (enlatada).








Regime alimentar



O cão adulto, por norma,
faz duas refeições por dia, sendo a da noite a mais substancial. Ou apenas
uma ao fim do dia. O regime a estabelecer depende dos hábitos das pessoas e
dos hábitos criados no próprio cão.



Um princípio a ter em
conta é o de não forçar ou aliciar o cão a comer. Tal como as pessoas eles
também têm dias em que não têm apetite e isso não significa que tenham
adoecido.



Se passarem um ou mesmo
dois dias sem comer, não lhes faz mal nenhum e esse jejum até pode ser
benéfico. Se a falta de apetite persistir, claro que é conveniente consultar
o veterinário.



Outro cuidado a ter tem a
ver com o excesso alimentar, especialmente se o cão tiver uma vida muito
sedentária. Muita comida e pouco exercício é meio caminho andado para se
tornar obeso, com as consequências prejudiciais daí resultantes.








Óleo na ração





Uma forma de o cão tolerar
melhor a ração seca é temperá-la com um pouco de óleo ou de azeite. Os óleos
mais aconselhados são o de milho, o de soja e o de peixe devido à presença
do componente ómega3. Os óleos de milho ou de soja encontram-se facilmente à
venda nas grandes superfícies no sector dos óleos e dos azeites. Em relação
ao azeite não está comprovado se confere melhores ou mesmo iguais resultados
aos óleos.




As vantagens do uso do óleo
na ração seca são fundamentalmente duas: o cão come a ração com mais agrado
e beneficia-lhe o pêlo.




A quantidade não deve ser
excessiva. Deita-se um fio de óleo na ração tal como se temperam as batatas
cozidas com azeite.








Guloseimas



Alimentação é uma coisa,
guloseima é outra, embora ambas sejam de comer.



A guloseima é um produto
natural ou fabricado que é do agrado do cão e que serve para o presentear.
Seja num regime de aprendizagem como recompensa, ou muito simplesmente por
gentileza do dono que quer ver o seu cão satisfeito.



Mas o excesso de
guloseimas não é de todo aconselhável. Por vários motivos. O cão habitua-se
à guloseima como alimento e depois vai fazer caretas à comida que se lhe põe
à frente. Por outro lado, em situações de aprendizagem, a guloseima deixa de
surtir efeito. Por outro lado, nas guloseimas fabricadas industrialmente
estão concentrados determinados ingredientes em doses excessivas que,
administrados em doses macissas ao cão, lhe vai causar problemas.




O dono deve estabelecer o
equilíbrio e não ceder aos caprichos do cão, deixando-lhe criar vícios.



A guloseima “natural” é a
mais garantida. O queijo ou o fiambre é uma solução, mas dados sempre
moderadamente.







Ossos



Os ossos artificiais
(enrolados de pele de vaca) não são propriamente uma guloseima. Quem lhes
pega são os cachorros pela necessidade que têm de roer.



Os ossos naturais estão
na fronteira entre a guloseima e a alimentação normal. Os ossos têm a
vantagem de os entreter aliviamdo-lhes o stress, de lhes limpar os dentes,
de lhes fornecer cálcio de forma natural e, finalmente, de lhes dar um
enorme prazer.



Não é aconselhável dar
ossos longos de aves, por exemplo de perú, porque ao partir estilhaçam em
forma de farpas que podem perfurar o tubo digestivo.



Dar-lhes ossos naturais
para roer uma vez por semana faz-lhes bem e é uma festa para eles.








Observações finais



Estas indicações não têm
carácter exaustivo e servem de mera orientação
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Ração seca VS carne crua   Hoje à(s) 10:07 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Ração seca VS carne crua
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Caça&pesca&natureza :: Os Cães :: Alimentação&saúde&Criação-
Ir para: